Contrato de consignação de veículos: os benefícios, a estrutura, como e por que fazer?

A principal preocupação daqueles que decidem vender seu carro é conseguir o melhor preço e a grande questão na resolução desse problema é que o momento de venda exige certa prática que o consumidor final, em geral, não tem. Você já ouviu falar sobre contrato de consignação de veículos?

Sabendo responder bem às dúvidas desse consumidor inexperiente, é possível fechar bons negócios. Entre as maneiras de trabalho mais comuns em lojas de carro está a consignação, que é uma opção amplamente utilizada para que se consiga vender um usado.

contrato de consignação de veículos

É importante ter uma boa imagem

Manter uma boa imagem significa não ter pendências na justiça com o nome da loja, garantir que o cadastro junto à receita esteja regularizado e dar suporte a eventuais problemas do estabelecimento discutidos em sites de reclamação, por exemplo.

Até pela internet essas informações são verificáveis e podem fazer com que a opção pela loja seja desconsiderada de imediato. Na verdade, é importante para que as duas partes não tenham problemas futuros.

Em negócios com divulgação online também é importante pesquisar as condições dos concorrentes, bem como as taxas praticadas para conseguir atrair as pessoas que estão pesquisando pela internet.

A estrutura de um contrato de consignação de veículos

Conseguindo atrair o consumidor para a concessionária, o próximo passo é pensar no contrato de consignação de veículo, documento que garante uma boa operação.

Assim, é importante que ele seja feito por escrito e que, neste documento, existam cláusulas com as obrigações do consignante (dono do carro) e do consignatário (concessionária revendedora).

Obrigações do consignante

A exigência legal do consignante é a descrição dos dados do veículo (marca, placa, chassis, ano, cor), eventuais equipamentos instalados no carro, o estado em que o veículo se encontra e a quilometragem rodada.

Obrigações do consignatário

Entre as obrigações do consignatário está o cuidado com o veículo entregue. O responsável descrito no contrato é chamado “fiel depositário” e é quem responde por eventuais avarias ao veículo.

Outra obrigação comum do consignatário é o repasse do pagamento da venda do veículo e, caso esta não seja feita, a devolução do automóvel sem qualquer ônus, a não ser que haja um acordo diferente.

A combinar entre os dois

Neste tópico, é importante saber que o contrato deve ter prazo para que a venda ocorra e que o vendedor consignante pode estipular um preço mínimo e máximo e, o consignatário, o percentual de comissão da loja de carros.

Outros documentos

Para conseguir circular com o veículo é importante ter em mãos o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRV).

Em geral, há confusão entre esse documento e o Certificado de Registro de Veículo que, por sua vez, permite sua venda e é entregue preenchido quando se acha um comprador.

Cuidados adicionais no momento da negociação

Alguns contratos possuem uma cláusula interessante que obriga o consignante a assumir a responsabilidade pelas multas antes da data da venda, o que evita disputas com o próximo proprietário do carro.

Além das multas, é importante levantar as informações importantes da situação do veículo, como IPVA atrasado ou outras regularizações pendentes.

Já é bastante difundida a necessidade de ter ao menos duas testemunhas no contrato, mas, como é melhor prevenir que remediar, vale reforçar essa ideia que significa que seu contrato pode ser executado em juízo.

Por último, é importante frisar que o principal cuidado está no contrato de consignação de veículos. Isso significa que se você não tem certeza de como ele deve ser, procure ajuda de um profissional.

Existem diversas possibilidades no mercado, desde advogados até sistemas de gestão que geram os contratos.

Esses sistemas, em especial, podem ser uma tremenda vantagem por conta da economia de tempo e dinheiro que geram em relação aos advogados, porque estruturam os contratos e ainda ajudam no gerenciamento dos prazos de cada um deles com um custo menor que o dos honorários profissionais.

Mas qual a vantagem em consignar um veículo?

As vantagens para a concessionária são várias, mas uma delas é o alívio de saber que se não vender, não terá contraído dívidas. Assim, os carros são devolvidos e outros negócios, eventualmente, são feitos, mas sem dívidas.

Outra vantagem que se estende para ambas as partes é vista em um bom contrato de consignação de veículos: asseguramento de uma transação rápida, que evita discussões com o futuro comprador e atualiza as eventuais pendências do veículo.

Além disso, o consumidor tem a vantagem de que o seu carro fica ainda mais atrativo para possíveis vendedores porque, de acordo com as exigências legais, é obrigatório oferecer seguro do carro por até 3 meses, o que aumenta a confiança dos interessados.

Apesar das vantagens, o consumidor não tem interesse?

Sorria, conte uma história e não discuta! Pergunte ao seu cliente o que o incomoda. Dê algum espaço e tente atender às necessidades dele. Sabendo como contornar as objeções, conseguirá convencer o seu cliente.

Isso exigirá certo “jogo de cintura” e conhecimento técnico a respeito das outras oportunidades que o cliente tem fora da mesa — ou seja, é importante conhecer a concorrência para conseguir mostrar comparações ao seu cliente, caso ele esteja disposto a negociar.

A esse ponto vale dizer que descrevemos a estrutura básica do contrato e existem diversos modelos que podem ser criados, inclusive mais específicos para atender às exigências resultantes da negociação com cliente.

Por fim, a complexidade em se pensar em todas as possibilidades para escrever um contrato de consignação de veículos é mesmo alta. Apesar disso, esperamos ter ajudado a resolver suas principais dúvidas a respeito do assunto.

Ainda que não seja possível dizer que você já pode sair por aí escrevendo contratos de consignação de veículos, pode entender no que eles implicam. Por isso, nossa recomendação, mais uma vez, é a procura por auxílio profissional.

Com um bom sistema para a gestão dos seus contratos, provavelmente você terá interesse em saber mais sobre como funciona a nota fiscal de entrada de veículos consignados. Explicamos tudo por aqui e, assim, você já saberá o que precisa para que seu negócio vá de vento em popa.

Gostou das nossas dicas? Ficou com mais alguma dúvida?

Que tal saber um pouco mais sobre consignação de veículos?

O que é consignação de veículos?

A consignação de veículos é uma prática muito recorrente para a venda de veículos. E como os ganhos podem ser muito altos, esse tipo de estratégia vem atraindo cada vez mais clientes interessados.

A consignação é uma das várias formas de vender um veículo no mercado automobilístico. A prática acontece quando o proprietário do veículo propõe que a venda aconteça por intermédio de uma concessionária ou loja de veículos. A partir daí, a loja é responsável pela tarefa de vender o veículo dentro do prazo estipulado que foi decidido na negociação.

É importante que esse procedimento seja firmado por um contrato para evitar possíveis erros. Ao final do prazo, caso a venda não aconteça, o veículo é devolvido ao proprietário.

Para o cliente, a consignação de veículos apresenta ótimos benefícios, como o simples fato de evitar procedimentos burocráticos. Além disso, como o valor ganho é bom, o consignante pode se animar para fechar o negócio.

Sendo assim, a consignação de carros é basicamente um procedimento onde o consignante deixa o carro com o consignatário para realizar a venda.

Como ganhar boas comissões com a consignação?

Para a loja de carros, a consignação de veículos significa captar mercadorias para seu estoque, sem a necessidade de imobilizar o capital de giro. Além de ganhar um valor razoável de comissão pelo esforço da venda, esse valor pode ser negociado, mas a média do mercado é de 5%.

É importante também considerar receber um valor agregado caso eventualmente aconteça com o financiamento do carro ou com seguro.

Além dessas possibilidades, pode acontecer também de um carro entrar como base de troca, iniciando novamente todo o ciclo de ganha-ganha.

Também é muito comum definir e combinar entre ambas as partes um valor final para a venda do veículo, e caso o vendedor consiga a venda por um preço superior ao estabelecido, a diferença será sua remuneração. Por conta disso, é muito importante criar estratégias e elaborar situações para contornar esses momentos. 

O segredo da consignação é a confiança 

Segundo o dicionário, consignar significa entregar uma mercadoria em confiança para a negociação. Ou seja, a consignação de carros se baseia na confiança que a loja de veículos deve estabelecer com o cliente.

Para isso é necessário manter tudo bem explicado para que não haja nenhuma dúvida, tanto para o consignante quanto para o consignatário. Isso pode ser resolvido com a criação de um contrato de consignação de veículos, onde cada um tenha ciência sobre seus direitos e deveres.

Com isso, vale a pena ressaltar e deixar o consignante alerta sobre alguns procedimentos, como o tempo. Como é um processo um pouco demorado, o tempo de venda em geral é de no mínimo 30 dias, então para pessoas que desejam fazer uma venda rápida, a consignação de veículo não é a opção mais indica.

Além disso, as partes envolvidas precisam cumprir uma série de direitos e deveres. De acordo com o Código de Proteção e Defesa do Consumidor, quem assume a responsabilidade por quaisquer problemas que possam acontecer após a venda, seja sobre panes, defeitos e vícios ocultos no veículo, documentação do veículo ou multas, é a concessionária.

Como se preparar para a consignação?

Antes de fechar negócio, é muito importante atentar-se aos detalhes, principalmente em deixar o consignante ciente dos processos. Para isso é importante antes de expor o veículo no showroom, realizar uma avaliação técnica sobre as condições de uso e seu estado de conservação.

Caso necessário, a revenda deve providenciar os reparos, substituir peças com desgaste, realizar a higienização e preparação. Mas como tudo isso possui um custo, inclusive o valor para a estadia, é importante negociar com o consignante quais dessas despesas serão pagas e quais serão abatidas no acerto final das contas.

Com o acordo entre ambos, a venda pode ser muito mais fácil e todos saem ganhando.

O que não pode faltar no contrato de consignação de veículos?

No momento de realizar o contrato de consignação de veículos, além dos dados pessoais, outros documentos são obrigatórios para deixar claro quais são as condições dos veículos. São eles:

  • Detalhes do veículo: marca, placa, chassis, ano e cor.
  • Valor: é necessário que o consignante entre em um acordo com a consignatária sobre um valor de venda.
  • Tempo da venda: em média, o prazo negociado da venda é de 30 dias.
  • Comissão: é importante deixar estipulado o valor que a consignatária receberá sobre a venda concretizada. A média do mercado é de 5% a 7% do valor final da venda sem impostos.
  • Prazo vencido: é muito importante informar que, caso o prazo da venda não seja alcançado, o veículo será devolvido ao consignante, sem que seja devido qualquer comissão ou taxa.
  • Condições do veículo: a loja de carros deve analisar as condições do veículo e acordar sobre possíveis reparos.
  • Caso a venda não aconteça: o carro será devolvido ao consignante, sem a obrigação da consignatária pagar o preço estipulado em contrato.
  • Se houver desistência: durante o prazo de venda, qualquer uma das partes pode rescindir, sem ônus, com a condição de pré-avisar a outra parte por escrito, com antecedência de no mínimo três dias.

Dicas para oferecer uma boa consignação

Ao optar pela consignação de veículos, o cliente sempre buscará a melhor opção disponível nas lojas de carros. Para isso, é importante seguir algumas dicas e mostrar ao consignante que sua loja será a melhor opção.

  • Passe confiança ao cliente: converse e seja transparente com o possível cliente. Mostre que fechar um negócio será uma ótima opção para ele. Nesse momento, o bom vendedor de carro deve apresentar os benefícios e explicar como funciona cada parte do processo.
  • Ouça seu cliente: escute o que o cliente tem a dizer. Saiba quais são suas necessidades e preocupações. Ter empatia facilita muito no momento da negociação.
  • Saiba contornar objeções: para isso é necessário que o profissional seja instruído e treinado sobre técnicas de vendas. O conhecimento técnico nesse momento faz muita diferença, e agrega muito valor ao momento de negociação.
  • Não discuta com um cliente indeciso: se o cliente em algum momento parecer indeciso, questione a ele o que impede a compra no momento. Mantenha sempre uma abordagem firme e nunca agressiva, pois isso pode causar problemas durante o momento da venda do negócio e o cliente indeciso jamais voltará em sua loja.

Para ter sucesso na sua loja de veículos, é importante estar bem alinhado em relação a todos os passos que envolvem a consignação. E para ampliar ainda mais os negócios, você pode baixar gratuitamente um guia de sucesso para concessionárias. Basta clicar aqui e colocar as dicas em prática!

Contrato de consignação de veículos: os benefícios, a estrutura, como e por que fazer?
5 (100%) 1 voto

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comentar tópicos
0 Respostas do tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Tópico de comentário mais quente
0 Autores de comentários
Baixe o Modelo de Contrato de Consignação para Venda de Veículo Autores recentes de comentários
  Inscrever-se  
mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
trackback

[…] termo de consignação da poder à loja de veículos para promover a venda do veículo bem como garante que… Leia mais »