Estoque próprio ou consignado: qual é o melhor para seu negócio?

Na hora de montar uma loja de veículos seminovos, a dúvida que paira na cabeça de todo lojista é: devo trabalhar com estoque próprio ou consignado? Qual a melhor forma de ter um giro maior do meu estoque e não comprometer meu capital de giro?

Estoque próprio ou consignado

Ao analisar nossos clientes, podemos encontrar o uso das duas modalidades, pois é importante lembrar: há carros que tem mais giro e outros nem tanto. Por isso, a primeira dica é: às vezes, ter veículos consignados ajuda no giro da loja e não compromete os recursos financeiros que possui; mas não deixe de ter veículos próprios que tenham uma rotatividade maior, fazendo com que o investimento seja recuperado logo.

Trabalhar com estoque próprio ou consignado?

Pensando nisso, o Revenda Mais traz todas as informações para você escolher o que melhor se encaixa no seu dia a dia. 

Trabalhar com estoque de veículos próprios

Quando o estoque próprio é o regime escolhido pelo lojista, ele utiliza de seus recursos financeiros para a compra dos veículos. Essa compra pode ser feita em concessionárias, de terceiros ou até mesmo em outras lojas de multimarcas. A dica nessa situação é sempre a lembrança que há veículos que contam com um giro maior e outros menor.

Preste atenção apenas para não perder dinheiro na hora da compra – veículos com muito tempo de pátio acabam trazendo mais prejuízo do que lucro para sua loja.

Trabalhar com estoque de veículos consignados

Aqui no blog já explicamos o que é a consignação de veículos, mas vamos relembrar? A consignação de veículos nada mais é do que o proprietário do veículo propõe a uma loja que revenda seu carro, sem a necessidade de transferir para seu CNPJ – neste caso, a loja é apenas um intermediário entre vendedor-comprador.

Antes de fechar esse tipo de negócio, é importante fazer um contrato de consignação para que as partes fiquem cientes das responsabilidades que cada um tem no negócio. Deve-se também emitir uma Nota Fiscal de entrada: quando estadual, usaremos a CFOP 1917; quando de outro estado, a CFOP 2917. Quando for emitir a NF, a natureza da operação é “entrada de mercadoria recebida em consignação” e fique tranquilo: não existe ICMS!

Mas, Revenda Mais, eu ganho dinheiro com esse tipo de estoque? Sim!

Uma das vantagens da consignação é a ampliação do estoque sem desembolsar capital de giro da empresa. A outra é a comissão para o lojista: dependendo da negociação, gira em torno de 5 a 7%, sem contar os financiamentos, seguros, despachante e até a entrada de outro carro no negócio – que pode gerar mais receita para a loja. Em muitos contratos, também, é definido um preço para a venda do veículo – se o lojista consegue vender por mais, há, também, essa remuneração.

Vendemos o carro. Como prosseguir até o pagamento do proprietário? Indicado pela maioria dos contadores, o primeiro passo é fazer uma nota fiscal de devolução do veículo – isso ajudará na finalização do processo. Quando finalizado esse processo, e o valor já estiver na conta, é só você transferir o dinheiro para o ex-proprietário do veículo – retirando sua comissão.

Independente de qual estoque você escolherá, lembre-se que para ter sucesso na sua loja de veículos, é importante estar bem alinhado em relação ao que você deseja – os dois tipos de negócio tem suas vantagens e desvantagens.

Avalie, veja o quanto de capital de giro você tem e foque em crescer ainda mais.

E para ampliar ainda mais os negócios, você pode baixar gratuitamente um guia de sucesso para lojas de veículos. Basta clicar aqui e colocar as dicas em prática!

Escrito por

Rhaíssa Silva
Rhaíssa Silva
Jornalista especialista na geração de conteúdo para mídias sociais. Há oito anos no mercado, atua como analista de conteúdo na Revenda Mais e é uma das responsáveis pelo desenvolvimento dos conteúdos especializados para o setor automotivo e lojas de veículos seminovos.

Compartilhe!
Inscrever-se
Notificação de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários