O que muda no mercado de venda de veículos pós-pandemia?

Compartilhe!

Com a chegada da COVID-19, os lojistas tiveram que se readaptar e apostar ainda mais nas vendas online, como o uso das redes sociais, como Instagram e Facebook, e o WhatsApp Business.

Aqui no blog, também já demos algumas dicas de como manter os negócios durante o Coronavírus que chegou de repente no Brasil.

Mas, a pergunta que fica é: o que muda no mercado de venda de veículos pós-pandemia? 

O que muda no mercado de venda de veículos pós-pandemia

Para começar a responder essa pergunta, precisamos contextualizar como está a situação da COVID-19 no país.

Hoje, são 2.118.646 casos, com 1.409.202 recuperados e 80.120 mortes. Cada estado/cidade está verificando a possibilidade de flexibilizar a abertura do comércio.

Mas, mesmo com essa flexibilização, muitas lojas ajustaram seus negócios e começaram a investir ainda mais nas vendas online, contratando a criação dos seus próprios sites, publicando seus carros em portais de anúncios, em seus Facebooks e Instagrams. 

Quem apostou nisso conseguiu ter êxito, pois, de acordo com Fenauto – Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores, o mercado começou a reaquecer mesmo em meio a pandemia.

Foi a partir da quinta semana de abril, chegando até junho, que o setor automotivo viu as vendas aumentarem para cerca de 41.631 carros vendidos por dia, com um crescimento de 2,78% em relação às semanas anteriores. 

Afinal, o que muda no mercado de venda de veículos pós-pandemia?

Mas, além das redes sociais, o que mais os lojistas e vendedores terão que fazer para o cliente comprar?

Mais uma vez, assim como foi com a chegada tão massiva da internet e das redes sociais, onde o cliente mesmo busca suas necessidades acessando diversos sites e fazendo as comparações que precisa, as lojas terão que pensar em dar mais do que apenas atenção na hora da compra.

Terá que fidelizar esse cliente, que não estará mais só dentro da loja: terá que atendê-lo onde quer que ele esteja. Lojistas e vendedores terão que fazer um pós-venda de qualidade para que ele volte.

Não veremos mais, principalmente pós-pandemia, um passeio com a família em uma concessionária/loja no fim de semana.

Mudanças no mercado de vendas de veículos pós-pandemia

O CEO da Webmotors, Eduardo Jurcevic, em uma webinar promovida pelo site Consumidor Moderno, afirmou que o próprio consumidor já mudou a forma de consumir o produto final. Mas o que muda no mercado de venda de veículos pós-pandemia? 

De acordo com ele, antes, o comprador ia em até 10 lojas antes de efetuar a compra. Hoje, ele já fez as buscas na internet e vai, no máximo, em duas revendas antes da tomada da decisão.

Por isso é tão importante ter um estoque completo e dar respostas rápidas ao cliente: dê o que o cliente quer e se sobressaia na busca.

O setor automotivo conta com muitas opções e quem ganhará o cliente é aquele que fará “os olhos brilharem” com oportunidades, taxas mais baixas, mais tempo para pagar, entre outras. 

Outra medida que perdurará mesmo após o fim de pandemia, é o “Car Delivery”, que nada mais é do que um serviço no qual o cliente faz todas as burocracias pela internet com o vendedor e recebe o carro onde estiver.

Essa modalidade teve adesão de muitas lojas de veículos e concessionárias nesse período e terá sua continuidade mesmo depois da pandemia.

Isso ocorrerá porque o comprador continuará a querer ter praticidade e comodidade de receber a compra na porta de casa em outros momentos.

Um ponto a ser pensado também é o uso de transporte coletivo pós-pandemia – será que utilizaremos como antes ou o uso de transportes individuais crescerá?

De acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), de Porto Alegre, a quantidade de passageiros nos transportes coletivos teve um decréscimo de 80%.

O medo de contágio viral que ocorrem nestes ambientes ajudarão a aumentar as vendas de carros. Isso se dá pois as pessoas irão preferir um veículo no qual se sintam mais seguras.

Mas essas vendas vão precisar de um incentivo dos bancos e financiadoras, que terão que dar mais crédito para o financiamento automotivo. 

Controle da loja na palma da mão

Cada vez mais ter o controle de sua loja de veículos na palma da mão será necessário.

É preciso investir em tecnologia, mais precisamente em um sistema específico para loja de veículos, no qual você tenha seu estoque atualizado e que ajude a publicar seu estoque em um só clique em todos os portais que você anuncia. E que também ajude na hora de compartilhar o link das informações do veículo com seus clientes por WhatsApp, por exemplo.

Outra funcionalidade importante é um CRM para loja de carros. Ele organiza sua carteira de clientes e mostra detalhes como quando foi a última compra daquela pessoa, seu aniversário, quais os carros que ele pode ter interesse, a interação de seus vendedores com o cliente, entre outros. 

Prevenção ao COVID-19

Além de se adaptar na forma de apresentar seu estoque, como em portais de vendas e redes sociais, aderir ao “Car Delivery”, entre outras modernidades para conseguir vender mais e durante a pandemia, os lojistas tiveram que organizar suas lojas com as novas regras para voltar a receber clientes.

Entre as determinações estão o uso obrigatório de máscaras, álcool em gel na entrada, distanciamento de até dois metros entre as pessoas.

Para te ajudar ainda mais na prevenção a COVID-19, separamos algumas dicas que o Ministério da Saúde traz, no site do combate ao Coronavírus. Verifique se está tudo certo em sua revenda, funcionários e clientes. Vamos lá?

  • Recomenda-se a utilização de máscaras em todos os ambientes. As máscaras de tecido (caseiras/artesanais) não são Equipamentos de Proteção Individual (EPI), mas podem funcionar como uma barreira física;
  • Se possível, meça a temperatura de todos os clientes que forem acessar sua loja. Se a temperatura de um deles for mais de 37,3º, peça que ele procure um serviço de saúde;
  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%. Essa frequência deve ser ampliada quando estiver em algum ambiente público (ambientes de trabalho ou instalações comerciais) ou tocar superfícies e objetos de uso compartilhado;
  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo;
  • Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção fácil com as mãos não higienizadas;
  • Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize sempre as mãos como já indicado;
  • Mantenha distância mínima de 2 (dois) metros entre pessoas em lugares públicos e de convívio social;
  • Evite abraços, beijos e apertos de mãos;
  • Higienize com frequência seu celular, caneta, mouse e teclado, além de outros objetos que são utilizados com frequência;
  • Não compartilhe objetos, como copos. Prefira os de plástico e descarte assim que utilizado;
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados. Abra bem as janelas!
  • Evite circulação desnecessária: se puder atender seus clientes online, prefira!
  • E se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos. Você pode buscar orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde e siga as recomendações do profissional de saúde.

Cuide-se! Juntos vamos sair mais rápido dessa pandemia. 

Escrito por

Rhaíssa Silva
Rhaíssa Silva
Jornalista especialista na geração de conteúdo para mídias sociais. Há oito anos no mercado, atua como analista de conteúdo na Revenda Mais e é uma das responsáveis pelo desenvolvimento dos conteúdos especializados para o setor automotivo e lojas de veículos seminovos.

Inscrever-se
Notificação de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
O que você achou? Por favor, comente.x
()
x